segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

EPIDEMIA PUXA-SAQUISTA NA TERRA DE FIGUEIRA



PELOS PODERES DA minha caixinha de Pandora! Dia desses aí, numa discussão com um desses personais puxa-sacos do poder, o Peregras conferiu in loco que eles nunca assumem a sua condição. Pior ainda, se chamá-los de puxa-saco, as criaturas ficam nervosíssimas com perigo de resultar em ir as vias de fato. Como este colunista brega, chique, cultural, caliente e etecetera e tal quis aprofundar no tema busquei informações sobre o que é puxa-saco e encontrei a seguinte definição: Sacus vem do latim amigo chato; Puxus vem do latim muito; Juntando os dois, forma "amigo muito chato". Infelizmente o puxa-saco é como a dengue, se não cuidar ele vira epidemia e pode ser encontrado em todo lugar, pois o puxa-saquismo está na essência humana, embora uns deixem esse comportamento bem escancarado. Alguns são fáceis de serem identificados, até parece que têm um carimbo na testa. Os principais alvos dessas criaturas são os ricos e poderosos. Políticos com cargos públicos, então, nem se fala. Mas engana-se quem pensa que os puxa-sacos só sabem bajular o chefe,
em alguns casos eles acumulam a função de dedo-duro. Esses são os mais perigosos da espécie, porque entrega companheiros de trabalho ao chefe sem o menor pudor, sem o menor constrangimento e ainda têm a cara lavada de puxar conversa com aqueles que eles próprios deduraram como se não tivessem culpa no cartório, suas principais vitimas são: os estagiários, motoristas, vendedores, auxiliares, você, eu, sua tia, o cachorro... Dia desses aí, vi dois puxa-sacos do paço conversando. Pensei comigo, haja pinico para colocar tanta mer... lim. Finalizando e para reflexão dessa “tchurminha”: “puxa-saco e inteligência, qualidades que não podem habitar o mesmo corpo”. Zás!
E vamos que vamos!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário